Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL
 IBahia
 JC
 G1


 
Parece Simples


Pense Nisso!

"Desde que nascemos, somos neurologicamente preparados para valorizar o afeto sobre todas as coisas. Fama, sexo e grandes banquetes passam; no fim das contas, ninguém consegue abraçar dinheiro. Exercícios, peso saudável e educação cuidam da saúde. Mas são os laços de afeto e amizade que asseguram a alegria".
(George Vaillant).



Escrito por R. Albuquerque às 09h53
[] [envie esta mensagem] [ ]



Pra você, meu amor...

Queria viajar o mundo inteiro com você.
Admirar junto um pôr-do-sol, rir de bobagens, receber teu cafuné viciante e teu abraço gostoso todo dia.
Mas, nem tudo acontece da forma que a gente quer. Então, só me resta aceitar e me conformar com tuas limitações e saber curtir ao máximo o pouco tempo que você tem pra me dar. Se eu só tiver 5 minutos com você num mês, é em 5 minutos que eu vou aprender a te amar.
Só não me deixe muito tempo sem sua voz e seu olhar, pois já não imagino como seria uma vida sem isso.



Escrito por R. Albuquerque às 09h52
[] [envie esta mensagem] [ ]



Verdadeiramente Livre

  

Hoje, de repente, me vieram à mente alguns momentos engraçados, românticos e inesquecíveis que vivi com pessoas diversas. E, naquele instante, cheguei à conclusão de que estava experimentando uma sensação única de liberdade. Pois, a verdade é que passamos praticamente a vida toda presos.

Obrigados a obedecer aos pais quando jovens. Forçados a ser exemplo para os filhos quando adultos. Confinados às regras do ambiente corporativo. Condenados a viver de acordo com o que a sociedade considera certo. Raríssimos são os que fazem realmente o que querem da vida, sem dar satisfação a ninguém. Acredito que um dos maiores motivos de se querer ganhar na loteria não seja exatamente pra conseguir comprar um apartamento novo ou viajar pelo mundo. Mas, principalmente, pra mandar um monte de gente - sogra, vizinho, chefe e quem você mais quiser - pra "aquele lugar". Em outras palavras, ser verdadeiramente livre.

Enquanto nosso dia de se tornar milionário não chega (aviso aos navegantes: talvez não chegue nunca!), nada melhor do que viajar em pensamentos. Se teletransportar para o passado, para o lado de quem se gosta, sentir a brisa e o conforto de um lugar aconchegante. Não há exercício mais prazeroso! Pois, até agora não inventaram nada capaz de controlar nem de vigiar nossa imaginação, muito menos de conter ou impedir nossos sonhos. Graças a Deus.

 



Escrito por R. Albuquerque às 21h32
[] [envie esta mensagem] [ ]



O Dono do Tempo

Eu queria que o tempo CORRESSE. Que chegasse logo o dia de te ver outra vez. Poder ratificar a admiração e ternura que tenho por ti e dar o melhor de mim para te proporcionar agradáveis momentos.

Talvez fosse melhor ser capaz de VOLTAR no tempo. Relembrar aquelas horas divertidas e tranquilas, marcadas por uma identificação ímpar e uma cumplicidade sem igual.

Acelerando ou retrocedendo, bom mesmo seria estar contigo. E PARAR o tempo, apenas para te contemplar. Fazer de cada minuto uma eternidade, nunca mais sentir saudade. Viver a nossa verdade.

Dizem que o tempo cicatriza feridas, ameniza dores, apaga mágoas, cura tudo. Será? Longe de mim ter a pretensão de ser o "Senhor da Razão". Perdido em pensamentos, atormentado por sentimentos, não desejo muito da vida.

Queria apenas ser o DONO DO TEMPO. E fazer somente, tão somente, o que manda o meu coração.



Escrito por R. Albuquerque às 14h47
[] [envie esta mensagem] [ ]



Enfim, um Amor Maduro

Harvey (Dustin Hoffman) é um americano de meia idade, compositor de jingles, divorciado e em crise no trabalho, que está indo à Londres para a festa de casamento de sua filha. Kate (Emma Thompson) é uma solteira convicta que trabalha no aeroporto britânico geralmente realizando pesquisas com os passantes. As desilusões e uma desesperadora solidão se encarregarão de promover um casual e fascinante encontro entre esses dois seres já tão marcados pela dor.

Falar mais que isso é estragar o charme e as surpresas de "Tinha que Ser Você" (em cartaz na maioria das capitais), produção que capricha nas locações, na trilha sonora e ainda conta com um elenco de apoio afiado. Porém, o destaque mesmo é a química perfeita entre a dupla central, que transborda emoção em interpretações ora contidas, ora explosivas, capazes de fazer rir - e talvez chorar -, mas nunca piegas.

Em tempos de romances adolescentes do quilate de Hannah Montana e High School Musical, um amor maduro (mas não necessariamente 100% racional) nas telonas é mais do que bem-vindo.



Escrito por R. Albuquerque às 01h11
[] [envie esta mensagem] [ ]



Ousadia Consciente

Eu tenho medo de viajar de avião. A sensação de não ter o controle sobre o que pode acontecer a qualquer momento no céu me incomoda mais do que o normal. Porém, jamais deixarei de voar rumo aos lugares  que sempre sonhei conhecer. Minha vontade de realizar objetivos supera qualquer temor.

Juliana tem pavor de ir para festas à noite, por ter que voltar de madrugada. Seus pais constantemente alertam sobre o perigo de assalto,  a possibilidade de um pneu estourar ou de um motorista bêbado vir acelerado na contra-mão. Mas ela sai mesmo assim. Seu desejo de encontrar os amigos após uma semana dura de trabalho vence os obstáculos, um a um.

Leandro tem receio de se apaixonar. Todos falam que a pessoa fica melosa ao extremo, boba, ridícula e até chata por estar rindo o tempo todo. Mas ele não se importa. O que ele quer mesmo é perder o domínio de seus sentimentos, agir como um tolo (mas feliz!), imaginar mil situações com alguém ao ouvir uma música romântica no rádio na volta pra casa.

Todos nós temos medos e receios de fazer várias coisas que gostamos por enxergarmos uma consequência negativa maior que o prazer obtido. Mas não podemos esquecer da brevidade e da fragilidade da vida. Nem de entregar nosso destino a Deus. Isso não significa abandonar o bom senso, transpor todos os limites. Mas sim, dosar a caminhada com alegria e responsabilidade, ter uma OUSADIA CONSCIENTE. E correr riscos. Sempre. Pois, quem não arrisca nada, já está se arriscando demais.



Escrito por R. Albuquerque às 15h58
[] [envie esta mensagem] [ ]



Recomeço

Incapaz de te negar algo, atendi ao seu chamado. Insensível ao teu encanto, pude ouvir com a prudência dos sábios.

Sereno na fala, vislumbrei a oportunidade de desatar os nós das minhas mágoas. Consciente da receptividade favorável, permiti que as emoções dominassem o diálogo.

Satisfeito com teu desarme, acatei tuas desculpas. Descrente de um recomeço, contentei-me apenas em selar a paz. Surpreso com tua iniciativa, retomei a fé na justiça divina.

A verdade foi revelada, a decepção amenizada, a dor se esvaiu...

Uma lágrima correu, a tristeza se escondeu, um sorriso surgiu...

O dia amanheceu, o sol apareceu e o universo sucintamente me transmitiu:

É tempo de acreditar na felicidade outra vez.

 



Escrito por R. Albuquerque às 09h47
[] [envie esta mensagem] [ ]



Fato Consumado

Hoje é dia de decisão! Tensão no ar!

Fim de jogo. Seu time não fez o gol que precisava e acabou ficando com o vice-campeonato outra vez. Não há tempo para mais nada. Que tal ligar para aquela garota especial vir consolar? Não adianta, ela voltou de corpo e alma para o ex e não quer nem ouvir sua voz mais. Até te excluiu do Orkut dela! Nem parece que semana passada vocês estavam tomando banho juntos! Que estranho! Deixa pra lá, isso é bobagem se você tiver passado naquele concurso que estudou tanto. O resultado final acaba de ser divulgado na internet, dê uma olhada. Não foi nem classificado?! Normal, a concorrência estava alta mesmo. Só resta conferir a mega-sena, quem sabe suas preces não foram finalmente atendidas? Verificando os números sorteados... é, você só acertou dois dessa vez, rasga esse papel e vá procurar algo útil pra fazer!

Inúmeras situações do nosso cotidiano nos deixam meio que desnorteados e inconformados com o desfecho apresentado. Não que seja fácil ver o clube campeão, namorar uma gata cobiçada por tantos, obter êxito numa prova difícil e muito menos ganhar na loteria. Mas é que a gente sempre sonha, deseja, imagina que tudo poderia ter sido diferente, que deveria dar certo conforme o idealizado. Afinal, merecemos o que queremos, não temos dúvidas quanto a isso!

Contratos que não foram fechados por muito pouco, vendas não realizadas por um detalhe, relacionamentos não oficializados por um triz, amizades irreparavelmente afetadas por uma palavra infeliz proferida numa hora inadequada. Tanta coisa que, por obra do destino, tomou o rumo errado!

Lamentar é inevitável, mas é preciso aceitar o FATO CONSUMADO. E virar a página, ao invés de desperdiçar tempo com o que não se pode mudar. Há de se convir também que nada foi em vão. Valeu o esforço, a fé e a vontade irrenunciável de ser feliz. Que venham novos desafios, novas paixões, que a esperança se renove constantemente e que uma certeza possa nos conduzir: o melhor ainda está por vir.



Escrito por R. Albuquerque às 02h14
[] [envie esta mensagem] [ ]



5 x Acróstico

Uma homenagem às amigas leitoras...

Nada pode explicar

Impossível entender

Essencial é perceber

Gigante é teu viver...

Estrela a cintilar

Simpatia a transbordar

Inteligência a impulsionar

Quem poderá duvidar?

Um dia há de encontrar

Especialmente quando não mais esperar

Importante como ninguém mais será

Rio vagando para o mar

Alguém que te saiba valorizar


Vento forte na estrada

Andorinha a flutuar

Numa noite de verão

Entregou seu coração...

Simplesmente sem saber

Sentimento a envolver

Assumiu seu bem querer

Carisma nunca faltou

Apareceu, chegou e ficou

Rainha da primavera

Indefinida, porém sincera

Navio a velejar

Em busca do além-mar


Melodia da estação

Amiga da emoção

Riso solto pelo ar

Incessante encantar

Lagoa de ternura

Irmã da doçura

Carinho natural

Aconchego maternal

Magia espacial

Presença que irradia

Olhar que contagia

Serenidade noite e dia


Mistério a desvendar

Assim como o luar

Ritual a contemplar...

Ambição saudável e clara

Jóia rara

União que não separa

Criatividade em expansão

Esplendor em ascensão

Princesa da esperança

Impaciência de criança

Ninho de bonança...

Humana, demasiadamente humana!

Eterna inspiração

Imponente abstração

Resquícios de donzela

Originalmente bela


Impulsivo é o teu ser

Verdade que te faz renascer

Alegria em saber florescer...

Nunca duvide de sua grandeza

Espetáculo da natureza

Indícios de realeza

Dama da delicadeza

Essência da beleza

Princípio de luz

Amizade que conduz

Sabedoria que seduz

Sucesso incandescente

Ontem, hoje e sempre

Seu amor estará presente

 



Escrito por R. Albuquerque às 10h53
[] [envie esta mensagem] [ ]



Um Amor de Outra Vida

Quando comecei a gostar de você, não procurei justificativas. O fato de me sentir bem apenas com sua aparência já era suficiente para eu perceber que havia sido fisgado. Nem todos falavam bem de você, alguns diziam que eu não conhecia suas múltiplas faces. Ainda preciso desvendar seus inúmeros segredos, descobrir melhor sua história. Sei que tens defeitos e problemas que parecem não ter solução, mas tenho absoluta certeza que tuas qualidades são imensas e capazes de superar qualquer adversidade. Lamento ter demorado a te encontrar, mas prometo jamais te abandonar.

A gente não pode decidir quem serão nossos parentes, mas podemos escolher alguém para compartilhar emoções.

Não temos como definir onde nascer. Mas podemos optar por onde viver o resto de nossos dias.

Não é só por sua beleza de tirar o fôlego, nem por sua música - ora poética, ora pulsante, sempre contagiante. Talvez seja por sua irresistível culinária, seu admirável sincretismo religioso ou principalmente por seu povo - humilde, acolhedor, cativante. Prefiro me abster de buscar um motivo plausível. Pois minha paixão por ti transcende tudo isso, a ponto de não mais me culpar por chegar a incomodar quem não consegue entender.

O que nos une não é deslumbre adolescente, moda passageira. É algo que arrepia, eterno fascínio, atração que não se explica. Hoje já não tenho mais dúvidas: é um amor de outra vida.

Salvador, minha cidade, parabéns pelos seus 460 anos!*

* 29 de março - aniversário de 460 anos da cidade de Salvador-BA



Escrito por R. Albuquerque às 22h10
[] [envie esta mensagem] [ ]



Sábia Tolice

Como as pessoas são bobas! Compram coisas caras que quase não usam, preocupam-se mais em se mostrar feliz do que estar realmente de bem com a vida. Discutem assuntos complexos com a intenção de mudar instantaneamente a cabeça do outro como se isso fosse uma batalha a ser vencida, julgam-se donos da verdade e praticamente não se conformam em admitir que alguém possa ter uma opinião contrária à sua e também estar "certo". Às vezes me sinto um "adulto" em meio à tanta infantilidade que presencio. Silencio-me por ter certeza da inutilidade de qualquer argumento que eu venha a apresentar.

Como eu sou ingênuo! Por acreditar que todos estão agindo sempre com a melhor das intenções; por achar que ainda lembram de minha gafe cometida há 5 anos (me envergonho até hoje, mas na realidade ninguém se incomodou muito com aquilo e a maioria até esqueceu no dia seguinte). Por não conseguir entender os motivos que levam gente próxima a tomar atitudes tão desumanas. Me sinto uma criança em meio à tanta esperteza e arrogância.

Ora tolo, ora sábio, viajo numa montanha-russa alternando o meu desprezo com a minha surpresa perante a sociedade. Consciente ou no auge da ignorância, me satisfaz perceber que quando tudo parece estar perdido, aparecem anjos em forma humana para me fazer sorrir e aceitar mais naturalmente os percalços que surgem. Um abraço, uma palavra ou um simples olhar são capazes de mudar meu astral e abastecer meu coração de carinho.

A única explicação para tudo isso é a presença de Deus em nós. Só Ele tem a receita para nossa felicidade e mesmo que não concordemos com certos ingredientes, tenhamos certeza que essa mistura de sensações experimentadas será exatamente tudo que precisamos em nossa trajetória. Só nos resta reconhecer e agradecer. Todos os dias.



Escrito por R. Albuquerque às 22h11
[] [envie esta mensagem] [ ]



Confissão Aberta

Hoje pensei em tudo o que aconteceu. Analisando mais friamente os fatos, cheguei à conclusão de que você estava certa(o) quando disse que eu não deveria fazer aquilo, que eu não poderia agir assim, que eu necessitava acordar urgentemente.

No meu mundo de convicções, ideias externas são até bem-vindas, mas dificilmente internalizadas, pois minhas crenças apresentam-se tão arraigadas que preciso vivê-las da forma que as idealizo, para só depois ouvir uma segunda opinião. Quero experimentar e ousar dentro dos meus limites, daquilo que eu defini como aceitável e saudável, inofensivo e satisfatório. Meus parâmetros foram estabelecidos de acordo com minhas experiências pessoais. Certamente, completamente diferentes das suas.

Errei, mas não me arrependo. Fiz porque tive vontade mesmo. Posso confessar que LAMENTO. Mas já me disseram, e eu acredito, que a dor é essencial para o crescimento de cada um. Então, se isso me fez mais forte, não posso abrir espaço para lamentações.

Apesar de reconhecer internamente meus enganos e tropeços, jamais te confessarei abertamente que você estava certa(o) desde o início. Não suportaria ouvir o clássico "eu te avisei", acho que ninguém gosta disso. Só despertaria minha raiva e outros sentimentos menos nobres. Não é orgulho. É auto-preservação.

No dia em que as pessoas pararem de fazer questão de mostrar que têm sempre a razão, a comunicação fluirá melhor, a sociedade evoluirá mais rápido e o amigo ao lado se sentirá mais tranquilo para conversar sobre o que realmente importa, pois saberá que não está falando com um ser crítico, condenatório e dono da verdade, mas sim com alguém que possa ouvi-lo e compreendê-lo como a um irmão. Afinal, somos todos irmãos. Ou não?



Escrito por R. Albuquerque às 01h03
[] [envie esta mensagem] [ ]



Provas de Amor

Sim, estamos nos gostando, mas não há necessidade de você me ligar todos os dias. Ok, já virou namoro, mas isso não pode impedir que eu continue a sair com meus amigos para tomar uma cerveja. Eu sei, o caso é sério, mas não é o fato de passarmos a morar na mesma casa que vai aumentar o compromisso. Tá legal, vem juntar sua escova de dentes com a minha, mas não me pressione para oficializar essa união através de papéis, eles não significam nada.

Em todo relacionamento as pessoas estão sempre querendo mais. O desejo contínuo de estar perto pode tornar-se perigoso e acabar sendo encarado como uma obrigação. É normal querer curtir ao máximo sua outra metade, mas há de se ter cuidado para não enveredar no campo da possessão. Isso sufoca o parceiro, desgasta, gera ciúmes inúteis.

Difícil entender por que estamos constantemente precisando de provas de amor. Será que é uma íntima insegurança, carência de auto-afirmação ou somente uma vontade de mostrar que tem alguém e aparecer bem na sociedade? Sim, isso existe, mesmo que inconscientemente.

Como ter a certeza de que realmente somos amados? Não é naquele tradicional beijo "selinho" pela manhã antes de sair para trabalhar; nem ao proferir a frase "te amo, viu?" toda vez que encerrar uma conversa ao celular. É no dia-a-dia, no olhar carinhoso, no respeito, nas gentilezas que só a gente percebe. É no querer bem, é quando constatamos que nos fizeram algo de bom sem esperar nada em troca.

E para ter isso, não adianta obsessão em ter o controle, fazer cobranças nem exigências. Basta apenas AMAR. Se o sentimento do outro também for real e verdadeiro, a reciprocidade virá e você terá tudo na forma e na dose que merece. Pra terminar (e pra variar), só me resta te perguntar uma coisa: isso é simples? Ou só parece?



Escrito por R. Albuquerque às 09h44
[] [envie esta mensagem] [ ]



Clube dos Decepcionados

Se você já emprestou o cartão de crédito e não te pagaram, teve o desprazer de flagrar seu amor com outra pessoa, descobriu que sua melhor amiga estava te enganando ou presenciou um estimado colega agindo de forma lamentável e totalmente condenável, seja bem-vindo(a) ao Clube dos Decepcionados!

Para fazer parte deste grupo, basta projetar o próximo da maneira que gostaríamos que ele fosse. Fatalmente aguardaremos atitudes, educação, comportamento e caráter condizentes com nosso "padrão interno de qualidade". Parece até que uma forte e imbatível correnteza nos transporta ao nosso maior erro, que é CRIAR EXPECTATIVA sobre alguém.

Não se trata de deixar de confiar em todo mundo. Afinal, não é novidade, ninguém é perfeito mesmo! Porém, é necessário buscar o entendimento de que nem sempre estaremos preparados para aceitar um defeito que até então desconhecíamos no outro. E esse "evento surpresa" pode nos machucar intensamente, mas paralelamente será um precioso adubo para nosso crescimento e amadurecimento.

Confiantes de que toda dor traz alguma lição positiva, precisamos ter um extremo cuidado para não colecionar mágoas. Pois, apesar de nunca estarmos livres de sofrer uma decepção, todos temos a capacidade e a opção de não carregá-la conosco em nossa jornada.

Decepcionar-se faz parte da vida. Permitir que esse amargo sentimento se instale e se transforme num rancor é altamente prejudicial à saúde. Duvido que você pretenda sair do nosso clube e se mudar para o Hospital dos Rancorosos (lá já estão doentes e nem sabem). Creio que seja simples evitar essa indesejada transferência. Ou só parece?



Escrito por R. Albuquerque às 21h46
[] [envie esta mensagem] [ ]



O Big Brother nosso de cada dia

Sempre que se inicia um novo Big Brother Brasil chovem críticas de todos os lados sobre a mediocridade e futilidade do programa. Quem confessar que assiste então, praticamente está assinando um atestado de ignorância, imbecilidade, ociosidade. Coisa de quem não tem o que fazer. Mas, já pararam pra pensar na assustadora semelhança que este jogo tem com nossa vida?

Se lá as pessoas estão fingindo o tempo todo, aqui não é muito diferente. Fala a verdade, em quem você confia? Até que ponto? Até o momento em que os interesses do outro não sejam os mesmos que o seu, ou batam de frente. Aí, não se iluda, ninguém vai abrir o caminho pra você passar. E isso não é necessariamente ganância ou maldade, pode ser apenas uma autodefesa. Se lá eles lutam para ser o "líder da semana", quem aqui nunca quis ser o centro das atenções ao menos por um dia? Nem que seja no dia do seu aniversário?! Não é questão de orgulho ou vaidade, talvez somente uma carência de reconhecimento.

Ok, talvez você não saiba, mas já enfrentou muitos "paredões" na vida. Certamente já esteve na mira para ser escolhido ou dispensado por alguém, seja no campo amoroso ou profissional. Muita gente jamais participaria por não aguentar ser observado por 24 horas. E quem disse que não somos? No trabalho, na rua, na família, fatalmente haverá um observador atento das nossas atitudes. E, mesmo nas situações de absoluta solidão, façamos um esforço para não errar. Pois aos olhos de Deus, nada escapa.

E a tal convivência forçada? Quem nesse mundo não se vê obrigado a suportar certos colegas de empresa ou tolerar determinados parentes? Tudo em busca do grande prêmio final. No caso deles, um milhão de reais. No nosso, a simples e genuína felicidade. Mas, enquanto lá apenas um pode ganhar, aqui o almejado êxito está ao alcance de todos. Porém, estranhamente, o "segredo" é o mesmo: AUTENTICIDADE.

Nunca deixe de ser você mesmo. Não abra mão de seus ideais, exerça com afinco sua real e fascinante personalidade. E o resultado, mais cedo ou mais tarde, surgirá. Naturalmente.



Escrito por R. Albuquerque às 00h17
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]